Diário de Bordo: Veneza

Ciao amici, tutto apposto? 😀

Gostaram da ultima matéria que fiz #CHOQUECULTURAL ? Se não conferiram, ainda há tempo einn!!

Hoje vou falar um pouco sobre o que tantos me cobram: Veneza! ~Em italiano: Venezia

Eu moro a 20min de trem de Veneza, o bilhete (de Treviso para Venezia) é 5 euro.

Cara, lá é muito lindo mesmo!! E tem tanta coisa para ver que eu fico até perdida.

Ok Vamos começar:

Eu me encantei perdidamente pelas pequenas ruas de Veneza, elas são tão estreitinhas, você se perde muito, mas muito fácil lá!

Eu ficava observando as construções e me perguntava: “Meu, quantos anos será que tem isso?” daí eu fui pesquisar:

“Tudo começou com a ocupação de ilhotas no nordeste da Itália. Para lá fugiram habitantes da região do Vêneto, temendo as hordas de bárbaros que tomaram conta da Europa a partir do século 5. As ilhas fizeram parte do Império Bizantino até o início do século 9, quando Veneza tornou-se independente. Logo, todas as áreas de terra firme das ilhas foram ocupadas e a cidade precisava crescer. A saída foi então avançar sobre as águas que separavam as ilhas. Para isso, os venezianos desenvolveram um sistema para aterrar as áreas alagadas anexas às porções de terra e assim foram estreitando a distância entre as ilhas, delineando canais e ganhando espaço para abrigar povoamentos maiores. “

Saiba mais aqui

Um dos pontos mais turísticos de Veneza: Praça São Marco  ~Piazza San Marco~.

Nela tem a Basílica de São Marcos (leendda) se você quiser entrar paga mais ou menos 6 euro e pode conhecer essa maravilha por dentro.

Eu não entrei por que quando fui estava uma fila enooorme e tipo Zzzz mas um dia eu volto para entrar por que eu tenho certeza que deve ser lindo, assim como por fora.

A praça é lotada de pombos e quem quiser pode até alimentá-los. Eu particularmente não sou nada fã de pombos e os quero muito longe de mim haha.

 Piazza San Marco

Basílica do San Marco

Um pouquinho a diante já tem o mar e uma visão muuuito linda, como na primeira imagem. Se você for a Veneza lembre-se sempre de olhar o horário por que se você pegar o azar de ir na chuva se deparará com um alagamento.

Ponte do suspiro ~Ponti dei sospiri~ fica muito perto da praça San Marco e ela tem uma história muito interessante/aterrorizante. Ela atravessa o Rio di Palazzo para conectar-se com uma dupla passagem no Palácio dos Doges para as Prigioni Nuove, o primeiro edifício do mundo construído especificamente para ser uma prisão. A ponte funcionava como uma transição para os detentos das prisões para as instalações para julgamentos. Conhecida em todo o mundo, a Ponte dos Suspiros é fotografada por turistas de todos os lugares a partir de apenas dois lugares onde é observável, ou seja, a partir da Ponte della Canonica e da Ponte della Paglia (além da gôndola).

O nome da ponte foi dado por Lord Byron no século XIX inspirado pela ideia de que, na época da República de Veneza, os prisioneiros ao atravessá-la suspiravam sabendo que viam pela última vez o mundo exterior. O fato é que uma vez condenado no Palácio dos Doges você não saía com vida.

Ponte RiAlto – Tem uma visão magnífica além de sua bela construção. Antigamente, a bela Ponte Rialto a única maneira de atravessar o Gran Canal, ligando o bairro de San Marco a San Paolo e Santa Croce.

Mercado> Bem próximo da Ponte RiAlto o mercado de Venezia tem diversas coisas e sempre lotado de turistas. Eu particularmente não gostei muito! A maioria das lojas vende a mesma coisa, sem nenhuma novidade. Porém é legal fazer um giro para conhecer.

Essa é a visão de um dos lados da ponte, da primeira vez que eu fui.

Esses são os pontos mais turísticos que conheci, além claro de ficar paralisada pela beleza que tem essa Veneza. Da ultima vez que eu fui, entrei em dois museus porém tive a enorme “inteligência” de esquecer de anotar o nome deles. Mas pode ter certeza que irei voltar lá somente para visitar os museus e contar para vocês.

Veneza tem muito, mais muito mais coisas para serem escritas e mostradas para vocês. Terá muito mais!!

Espero que tenham gostado e fiquem por dentro para saberem de muito mais!

Abraço, Carol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *