Música é sintonia – Mano Brown lança novo álbum

Ouvir música é sintonizar. Sintonizar com o mundo, sintonizar com um sentimento ou até mesmo com alguma ideia. Sempre acreditei que o som é capaz de nos levar a lugares da nossa intimidade que não visitamos, de resgatar sonhos que deixamos na cabeceira de nossas camas. E toda essa desatenção pode ser pela nossa vida agitada ou pelo medo do que vamos encontrar. Mas lá está ela, a Música, com o seu convite, com o seu jeitinho de quem sabe chegar e fazer a melodia certa.

Outro dia li uma noticía que iluminou meu café da manhã. Em meio a toda onda de violência que se passa no Espírito Santo por conta da greve dos policiais militares, a rua de Vitória foi invadida por um sentimento de esperança. Um morador da cidade passou com seu carro tocando a música ‘Imagine’, de John Lennon, e um projetor foi usado expressando nos prédios a hashtag: #SemMedo. Claro, emocionou a todos.

Compor uma música que emociona, que ultrapasse gerações e a mensagem continue atual, não é uma tarefa fácil. Basta olhar a história de Pedro Paulo Soares Pereira, se não o conhecem pelo seu nome, com certeza sabe quem ele é pelo seu nome artístico: Mano Brown.

mano-brown-frame

 

Mano Brown nasceu na cidade de São Paulo em 22 de Abril de 1970, cresceu na periferia da cidade no bairro do Capão Redondo, que segundo as estatísticas um lugar com alto índice de violência. Tinha tudo pra ser mais um número no sistema capitalista. Mas eis que ela, a Música, veio lhe visitar. Da mais alta qualidade de seu gênero, o Hip Hop. Depois dessa visita, sua vida se transformou e também transformou outras vidas.

Não tenho a pretensão de fazer sua biografia nesse pequeno texto. Mas sim de convidar você, nosso leitor, a conhecer esse artista que é referência para as periferias do Brasil. Seja pela sua personalidade ousada e sincera ou pela sua música empoderada junto ao grupo Racionais’Mcs, reivindicando a autoestima negra e periférica. Então fica aqui o meu convite. Pois o seu mais novo trabalho de carreira solo, o álbum Boogie Naipe, tá como diria a gíria popular, tá pesado! E aí, vai conhecer?

 

 

Estudante de jornalismo e VideoMaker

Diego Queiroz

Estudante de jornalismo e VideoMaker

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *